Tufão – cata-vento anemométrico em Irati (PR)

Irati (PR) / Cata-vento não convencional – PROTÓTIPO EM EXPOSIÇÃO

(01) Graças a um financiamento conquistado junto ao PROECO – Fundo Aurora Pró-Desenvolvimento Local Sustentável, da FHAU / IPTA-ABDA – Rede Aurora (Brasília / DF), a ONG Instituto Santos-Dumont de Tecnologia e Desenho Industrial – ISAORG (www.isaorg.org.br), com sede em Irati (PR), apresentou dia 21 de setembro próximo passado, sexta feira, às 16h30, nas instalações do Colégio Florestal de Irati (www.irati.com.br/colflorestal), o protótipo do TUFÃO.

(02) A cerimônia foi aberta ao público e integrou a agenda de encerramento do V ENCONTRO NACIONAL DE TÉCNICOS FLORESTAIS, promoção do Colégio Florestal, unidade pública de ensino técnico do Governo do Estado do Paraná. Além de alunos, professores da instituição, empresários e servidores públicos em geral, estiveram presentes ao evento: Eng. Florestal Laércio de Oliveira, Diretor do Colégio Florestal; Marisa Massa Lucas, Vice-Prefeita de Irati (PR); Felipe Guedes Alvarenga, da Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social do Ministério da Ciência e Tecnologia; Vanderlei Kawa, Diretor Administrativo da AMCESPAR – Associação dos Municípios do Centro-Sul do Paraná; Florêncio Wroblewski, do PROECO / FHAU – ABDA (Fundo Aurora Pró-Desenvolvimento Local Sustentável); Arq. Luiz Gonzaga Scortecci de Paula, Presidente do ISAORG e autor do TUFÃO; Werner Otto Barby, proprietário da Werby Máquinas Ltda, empresa iratiense construtora do protótipo do TUFÃO e que responderá pela construção de exemplares avulsos sob encomenda; Reginaldo Szwaidak, chefe de oficina da equipe construtora do protótipo do TUFÃO na Werbye Máquinas Ltda. (Irati / PR); Eng. Paulo Sérgio Bonatto de Melo, da área de engenharia industrial e modelagem eletrônica do ISAORG; Estela Mara Rosa, da comissão organizadora da KATAVENTO – Ind. e Com. Ltda. – ME, empresa que produzirá em série o TUFÃO; Jackson Manoel de Freitas, Diretor Técnico do ISAORG; Rozenilda Romaniw, da Secretaria de Planejamento da Prefeitura de Irati; e Professor Mário Menon, Diretor da UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro-Oeste – Campus Irati.

(03) O referido implemento é um tracionador ou rotor eólico (cata-vento não convencional), de giro horizontal e eixo vertical, do tipo anemométrico (lembra um anemômetro gigante), com seis ou oito pás cônicas, e que funciona montado na ponta de uma torre de concreto (poste convencional), para onde é içado por um sistema especial depois de montado na base da torre. O conjunto de pás tem seis metros de diâmetro e, na sua versão final, deverá receber tratamento para operar nas zonas litorâneas sem que seus elementos sofram a ação corrosiva da maresia.

(04) O protótipo do TUFÃO foi encomendado à Werby Máquinas Ltda., empresa iratiense que deverá atender também aos pedidos sob encomenda tão logo o TUFÃO esteja disponível comercialmente. Num segundo momento, o TUFÃO será produzido em série pela KATAVENTO – Ind. e Com. Ltda. – ME, microempresa a ser instalada em Irati (PR) pelas duas ONGs de fins humanitários envolvidas no desenvolvimento do produto (REDE AURORA e ISAORG).

(05) O TUFÃO é parte de uma série de 28 trabalhos tecnológicos “inventivos” e inovadores voltados principalmente para populações isoladas, sitiantes, comunidades rurais, ecovilas e agrovilas, estações aquarianas, pequenos agricultores e fazendas, sem prejuízo, naturalmente, de sua aplicação no meio urbano, principalmente junto a assentamentos socialmente improvisados, por exemplo.

(06) Um tracionador ou rotor eólico é um “cata-vento” ou seja, uma máquina que produz energia mecânica com a força dos ventos, energia essa que pode ser utilizada para muitos fins, como geração de energia elétrica, bombeamento d’água para recalque ou irrigação, aeração silenciosa de tanques de peixes e camarões, ventilação de criadouros, moagem e trituração de grãos e vegetais, exaustão em ambientes fechados, movimentação de cargas em biodigestores, içamento de baladeiras (levantamento intermitente de cargas em planos inclinados), movimentação de letreiros comerciais e até para fins decorativos, em faixas de domínio de rodovias e postos de combustíveis, podendo ser muito úteis também em pousadas e hotéis de campo, no eco-turismo e no turismo rural e de aventura, bem como em estações de monitoramento científico em geral e em pequenos aeródromos.

(07) O TUFÃO só depende de bons ventos, como qualquer tracionador eólico. A média dos ventos deve ser boa, ou seja, a partir de 7 a 8 metros por segundo (25,2 a 28,8 km/h), condições em geral existentes em regiões mais altas e no litoral, em quase todo o Brasil. Melhor ainda quando utilizado como fonte complementar, associado, direta ou indiretamente, com outras fontes alternativas à energia fornecida pelas concessionárias públicas ou pela queima de derivados do petróleo, tração animal e força humana, ainda muito utilizada para carregar ou bombear água.

(08) Sua performance está em estudo e seu preço ao consumidor ainda não foi divulgado, mas os interessados podem se inscrever no grupo virtual “Amigos do Tufão” para receber informações e acompanhar o desenvolvimento do produto. Mande um e-mail em branco para o seguinte endereço eletrônico e depois confirme sua adesão tão logo receba um e-mail automático: assinar-amigos-do-tufao@grupos.com.br.

(09) Sua patente como Modelo de Utilidade foi encaminhada através da APPI – Agência Paranaense de Propriedade Industrial do TECPAR (www.tecpar.br/appi). A concepção do TUFÃO é do Arquiteto mineiro Luiz Gonzaga Scortecci de Paula, 56 (Uberaba / MG), ora domiciliado em Irati (PR), e que vem superintendendo o projeto. A modelagem eletrônica ficou a cargo do Engenheiro Industrial Paulo Sérgio Bonatto de Melo, de Porto Alegre (RS). A chefia da construção do TUFÃO na Werby Máquinas Ltda. foi de Reginaldo Szwaidak. Modelos em escala e ensaios preliminares couberam a Jackson Manoel de Freitas, do ISAORG.

(10) Seus criadores e as duas ONGs que representam estão de olho na geração de emprego, na superação das desigualdades regionais de renda e de oportunidades, na inclusão social responsável, na amenização das conseqüência do aquecimento global, no desenvolvimento de infra-estrutura para refugiados e comunidades nativas em geral, na disponibilização de soluções viáveis para o atendimento humanitário e de defesa civil em situações de emergência, desde o plano local até global, em tempo de paz ou de guerra, bem como no resgate da criatividade popular e do inventor nacional isolado ou independente, com ou sem titulação técnica e acadêmica.

(11) Em pauta no ISAORG está a captação de recursos gratuitos (a fundo perdido), ou bens em espécie, visando o desenvolvimento das próximas etapas, que incluem o acesso a um terreno, a construção de barracão industrial, a aquisição de máquinas e ferramentas diversas, equipamentos, veículos e instrumentos em geral, a incubação da empresa KATAVENTO, a contratação do pessoal e um certo capital de giro, além de recursos para a conclusão do TUFÃO e de seus periféricos, visando seus usos possíveis, e o início das atividades relativas ao desenvolvimento de outros produtos da agenda da parceria REDE AURORA, ISAORG e KATAVENTO.

(12) Parte da renda obtida com a comercialização dos produtos do ISAORG reverterá para o PROECO e para as atividades de difusão de eco-tecnologias de baixo impacto ecológico-ambiental e relevante interesse sócio-comunitário (Tecnologias Sociais), bem como produtos indispensáveis para ações de defesa civil e a ajuda humanitária em larga escala, preocupação central da REDE AURORA.

(13) Mais elementos sobre o TUFÃO e outros trabalhos da parceria em questão poderão ser conhecidos através do site http://www.isaorg.org.br e http://www.katavento.com.br. Há uma nota sobre o evento acima citado em http://www.rts.org.br, site da REDE DE TECNOLOGIA SOCIAL.

(14) Ilustrações: vide link http://www.isaorg.org.br/EXTRAS/solenidade-tufao.htm.

log_pir_47

.

Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Anúncios

6 Respostas

  1. Gostaria de um projeto de um catavento.
    So curiosidade
    Obrigado

  2. Pofavor,queria mais informação,desse projeto,pois a minha comunidade careçe de água potável e existe fontes de água minheral,la é um vilarejo com bouas condições,e bom esseço,não me esperando respostas.Aguardo,abrigado.

  3. Pofavor,queria obter informações desse projeto,me mandem,espero breve.

  4. quero saber o enderenço e como faço para chega la

    Resposta:

    Como consta no texto: Colégio Florestal de Irati, no estado do Paraná, município de Irati, interior do estado.
    O site atualizado é: http://www.colegioflorestal.com.br.

    Abraço
    Z

  5. existe um projeto de catavento deste tipo, editado pela revista ´Editora Trẽs` É o mesmo projeto de 1985.

  6. Eu tenho a Fazenda Rosa Ventos, e pequena 50 hectares, eu tenho um projeto ou delírio colocar de um catavento….
    Só curiosidade

    shorin33@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: