Espiões psíquicos

Em 1995, o governo dos EUA extinguiu um projeto de vinte anos para desenvolver agentes psíquicos. Agora o governo ignora o caso. O que estaria ocultando?

Pat Price, ex-delegado de policia da Califórnia foi um agente psíquico.

Foram-lhe mostrados mapas com coordenadas e lhe feitas perguntas.

Price respondeu um relatório de cinco paginas que descrevia a área em questão, os edifícios que existiam no lugar e seus interiores como também os móveis das salas e os nomes que estavam sobre as mesas de trabalho. Suas últimas palavras pareciam insensatas:

“Bola de saída”, ” bola quatro”, “bola oito”, ” caçapa lateral”, etc. Ele estava lendo os nomes codificados de alguns arquivos que encontravam-se dentro de um armário em uma das salas.

Pat Price desconhecia, mas acabou descrevendo o Gabinete de Segurança Nacional (GNS) de um centro secreto de comunicações situado á 210 quilômetros de Washington. Price nunca esteve naquele local e o relatório foi feito do outro lado do país, no Stanford Research Institute (SRI), na Califórnia. Os resultados impressionaram. A notícia chegou a GNS que acabou iniciando uma investigação sobre Price.

Durante os dois anos seguintes até sua morte em 1.975, Price trabalhou em projetos secretos militares. Os projetos Scanate, era uma série de testes financiados pela CIA para determinar se a percepção extra sensorial (PES) poderia ser utilizada no campo da espionagem. Nascia assim um novo tipo de agente: o espião psíquico.

Segundo alguns pesquisadores, a parapsicologia sempre foi utilizada durante a historia.

Desde súmulas de profetas descritas no Antigo Testamento até a Guerra do Vietnã passando por Joana D’Arc e a Primeira Guerra Mundial.

A Conexão Nazista

A Segunda Guerra Mundial desencadeou uma serie de experiências de clarividências.

Dizem que em 1.941 os conselheiros psíquicos de Stalin preveram a morte de Hitler e a derrota da Alemanha.

O alto comando nazista de Berlim, obcecado pela astrologia e pelo paranormal, criou então o Instituto Pendulum para a detecção de movimentos de embarcações inimigas com a ajuda de pêndulos e cartas marítimas.

Cientes deste fato em Londres, os britânicos propagaram a noticia de que possuíam especialistas em pêndulos cujo resultados eram excelentes. Os alemães ficaram consternados, principalmente porque nesta época estavam perdendo muitos submarinos.

Entretanto, foi durante a Guerra Fria que a espionagem psíquica realmente floresceu. O que sabe-se, é que o bloco comunista era o mais desenvolvido nesta área. Grandes quantias de capital foram investidas em programas de poderes mentais.

Experimentos Mortais

O êxito final, segundo o bioquímico tcheco Milan Ryzl – que antes de mudar-se para os EUA em 1.967 havia visitado os laboratórios psíquicos soviéticos -, era a ligação com o pensamento.

O doutor Nicolai E. Khoklov, que desfiliou-se da KGB em 1.954, afirmava que estavam sendo empreendidas experiências com armamentos “psicotrônicos” para: destruição psíquica de mísseis, inutilização de sistemas de radar e alteração dos componentes eletrônicos de computadores.

Khoklov assinalou que em uma experiência conseguiram fraturar a coluna vertebral de uma pessoa utilizando este tipo de energia. Verídicos ou não tais casos, os EUA encontravam-se em condições inferiores no campo paranormal. Em 1.971, o astronauta Edgar Mitchell, da nave espacial Apolo 14, tentou sem êxito uma comunicação telepática do espaço com um especialista. No ano seguinte a NASA tentava criar então uma máquina que facilitasse a comunicação telepática através do espaço.

O projeto foi impossível de ser empreendido, entretanto, os cientistas que foram contratados – Harold Puthof e Russell Targ, do SRI da Califórnia – prosseguiram com as pesquisas e a NASA continuou financiando-os. Aproximadamente 70% do orçamento do SRI era proveniente de contratos governamentais.

Em 1.972, Targ e Puthof, doutores especialistas em física quântica e em raios laser e microondas, receberam a visita de Ingo Swann, um paranormal e pintor modernista de Nova York, membro da Sociedade Americana de Estados Psíquicos (SAEP). Ele estava pesquisando um método de “espionagem”, para se visualizar psiquicamente lugares e coisas. Targ e Puthof perceberam o grande  potencial desta capacidade mental e organizaram então uma equipe dotada com poderes psíquicos, conduzida por Swann e Pat Price.

As experiências foram sucedidas e em pouco tempo, os serviços de espionagem interessaram-se por esta descoberta. Em outubro de 1.972, ocorreu uma reunião secreta, onde estavam presentes Puthof  e um anônimo pesquisador. Segundo Swann, eles receberam um adiantamento de 50 mil dólares para “desenvolverem um método que pudesse ser utilizado para espionagem”.

Financiamento Secreto

O novo patrocinador, chamado de “o aspirante da Costa Leste”, mas que na verdade se tratava da CIA, deu um prazo de 80 dias ao SRI para que encontrasse um método de espionagem psíquica. A equipe começou então a trabalhar no que foi denominado de projeto Scanate.

Em julho de 1.973, depois de meses de experiências e testes, a equipe de SRI encontrou um fenômeno que poderia satisfazer as exigências da CIA após apresentação dos resultados por Puthof quando em uma semana Swann recebera as primeiras coordenadas do serviço secreto. A espionagem psíquica finalmente estava sendo colocada em prática.

Início do Acobertamento

A partir deste momento, os indivíduos envolvidos com o projeto de “espionagem” psíquica, conseguiram forca para persuadir os dirigentes do Pentágono sobre o potencial militar paranormal. Os êxitos aumentavam á medida que as pesquisas avançavam, mas ao mesmo tempo crescia o caráter confidencial do projeto. Contudo, em 1.975, com a morte de Pat Price, foi anunciado que a espionagem psíquica tinha chegado ao fim, mas esta era a versão oficial. Porem, através de uma investigação realizada em 1.978, foi demonstrado que 5 dos 14 laboratórios de parapsicologia tinham sido contratados por autoridades governamentais. Em janeiro de 1.980, o governo norte-americano voltou a solicitar os serviços do SRI em razão dos seqüestros de vários norte-americanos pelo Ira.

Apesar de negar, o governo dos EUA continuou financiando projetos secretos nesta área. Em 1.977, uma nova operação – o Projeto Grillflame -, forneceu ao exercito e aos serviços secretos, espiões psíquicos. Foi criado então um novo centro de “espionagem”, em Forte Mead (Maryland), com especialistas psíquicos do Centro de informação de Segurança (CIS) do Exercito.

Operação “STARGATE”

Oficialmente, o projeto Grillflane extinguiu suas atividades em 1.983, mas na verdade, prosseguiam em sigilo financiados por verbas do Pentágono. Mudou-se o nome do projeto – denominava-se agora “Centerlane” – mas a Agência da Informação da Defesa manteve os mesmos objetivos.

As autoridades estavam impressionadas com os resultados. Segundo o Gal. Edmund Thompson, a técnica de “espionagem” era real e “não estávamos interessados em explica-la, nem em esclarecer sobre sua utilização”.

Ao que parece, a equipe de Grillflane investigou assuntos paranormais por todo o mundo. Entre seus sucessos, estão incluídos: a procura de túneis secretos entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul; a localização de um bombardeiro soviético que havia sido atingido na África; o assassinato do Presidente Park na Coréia do Sul; a localização de testes nucleares e a captura de um espião soviético na China como também descrições detalhadas dos campos de treinamentos dos terroristas do Hezbolla no Oriente Médio e informação estratégica do paradeiro do Gal. Mu’ammar al-Gaddafi durante o ataque aéreo á Trípoli.

Sem garantia de sucesso, foram abertas investigações sobre a espionagem psíquica dentre outros projetos do Pentágono.

As conclusões das investigações em Fort Mead, continuam sendo sigilosas mas em 1.986 o projeto STARGATE foi definitivamente cancelado. Ou será que não?

Em 1.995, de acordo com uma nota oficial, Fort Mead foi fechado. Uma contradição, já que teoricamente não funcionava há 9 anos. Considerando-se a pouca confiabilidade das afirmações, parece que o exército continua interessado em parapsicologia.

Depois do fechamento “oficial” de Fort Mead, o comandante Edmund fundou uma firma chamada Psi-Tech, para prosseguir com estudos na área psíquica. Dames tinha muitos clientes, e dentre eles, o governo dos EUA. Posteriormente, a Psi-Tech foi dissolvida.

O Circulo se Fecha

A espionagem psíquica poderia pertencer ao setor privado? Joseph McMoneagle, o primeiro oficial do exército a ser treinado para o projeto Grillflane acredita que não: “Posso assegurar-lhe categoricamente como um psíquico e como membro do projeto que o Grillflane está fechado e não será ativado novamente. O governo nunca contratou psíquicos civis e não o fará futuramente, uma vez que não pode controlá-los. “Esta foi uma das razões pelas quais o projeto foi criado”.

Mas talvez a palavra final sobre o assunto tenha sido dita pelo Stanfield Turner, ex-diretor da CIA. Quando, em 1.995, perguntaram-lhe se o governo prosseguia utilizando o serviço de especialistas psíquicos, ele declarou numa nota: “Nenhum oficial do Serviço de informação jamais ocultaria alguma valiosa fonte de informação”.

Tradução e Colaboração – Julio Anglada – janglada@openlink.com.br

Carlos Airton – caas@ceara.net

http://web.archive.org

http://www.infinitetv.com.br

Projetos Especiais
ESPIÕES PSÍQUICOSRevisado por – Julio Anglada – janglada@openlink.com.br
Carlos Airton – caas@ceara.netEm 1995, o governo dos EUA extinguiu um projeto de vinte anospara desenvolver agentes psíquicos. Agora o governo ignora o

caso. O que estaria ocultando?

Pat Price, ex-delegado de policia da Califórnia foi um agente

psíquico.

Foram-lhe mostrados mapas com coordenadas e lhe feitas perguntas.

Price respondeu um relatório de cinco paginas que descrevia a

área em questão, os edifícios que existiam no lugar e seus

interiores como também os móveis das salas e os nomes que estavam

sobre as mesas de trabalho. Suas últimas palavras pareciam

insensatas:

“Bola de saída”;” bola quatro” ;”bola oito” ;” caçapa lateral”,

etc. Ele estava lendo os nomes codificados de alguns arquivos que

encontravam-se dentro de um armário em uma das salas.

Pat Price desconhecia, mas acabou descrevendo o Gabinete de

Segurança Nacional (GNS) de um centro secreto de comunicações

situado á 210 quilômetros de Washington. Price nunca esteve

naquele local e o relatório foi feito do outro lado do país, no

Stanford Research Institute (SRI), na Califórnia. Os resultados

impressionaram. A notícia chegou a GNS que acabou iniciando uma

investigação sobre Price.

Durante os dois anos seguintes até sua morte em 1.975, Price

trabalhou em projetos secretos militares. Os projetos Scanate,

era uma série de testes financiados pela CIA para determinar se a

percepção extra sensorial (PES) poderia ser utilizada no campo da

espionagem. Nascia assim um novo tipo de agente: o espião

psíquico.

Segundo alguns pesquisadores, a parapsicologia sempre foi

utilizada durante a historia.

Desde súmulas de profetas descritas no Antigo Testamento até a

Guerra do Vietnã passando por Joana D’Arc e a Primeira Guerra

Mundial.

A Conexão Nazista

A Segunda Guerra Mundial desencadeou uma serie de experiências de

clarividências.

Dizem que em 1.941 os conselheiros psíquicos de Stalin preveram a

morte de Hitler e a derrota da Alemanha.

O alto comando nazista de Berlim, obcecado pela astrologia e pelo

paranormal, criou então o Instituto Pendulum para a detecção de

movimentos de embarcações inimigas com a ajuda de pêndulos e

cartas marítimas.

Cientes deste fato em Londres, os britânicos propagaram a noticia

de que possuíam especialistas em pêndulos cujo resultados eram

excelentes. Os alemães ficaram consternados, principalmente

porque nesta época estavam perdendo muitos submarinos.

Entretanto, foi durante a Guerra Fria que a espionagem psíquica

realmente floresceu. O que sabe-se, é que o bloco comunista era o

mais desenvolvido nesta área. Grandes quantias de capital foram

investidas em programas de poderes mentais.

Experimentos Mortais

O êxito final, segundo o bioquímico tcheco Milan Ryzl – que antes

de mudar-se para os EUA em 1.967 havia visitado os laboratórios

psíquicos soviéticos -, era a ligação com o pensamento.

O doutor Nicolai E. Khoklov, que desfiliou-se da KGB em 1.954,

afirmava que estavam sendo empreendidas experiências com

armamentos “psicotrônicos” para :

destruição psíquica de mísseis, inutilização de sistemas de radar

e alteração dos componentes eletrônicos de computadores.

Khoklov assinalou que em uma experiência conseguiram fraturar a

coluna vertebral de uma pessoa utilizando este tipo de energia.

Verídicos ou não tais casos, os EUA encontravam-se em condições

inferiores no campo paranormal. Em 1.971, o astronauta Edgar

Mitchell, da nave espacial Apolo 14, tentou sem êxito uma

comunicação telepática do espaço com um especialista. No ano

seguinte a NASA tentava criar então uma máquina que facilitasse a

comunicação telepática através do espaço.

O projeto foi impossível de ser empreendido, entretanto, os

cientistas que foram contratados – Harold Puthof e Russell Targ,

do SRI da Califórnia – prosseguiram com as pesquisas e a NASA

continuou financiando-os. Aproximadamente 70% do orçamento do SRI

era proveniente de contratos governamentais.

Em 1.972, Targ e Puthof, doutores especialistas em física

quântica e em raios laser e microondas, receberam a visita de

Ingo Swann, um paranormal e pintor modernista de Nova York,

membro da Sociedade Americana de Estados Psíquicos (SAEP). Ele

estava pesquisando um método de “espionagem”, para se visualizar

psiquicamente lugares e coisas. Targ e Puthof perceberam o grande

potencial desta capacidade mental e organizaram então uma equipe

dotada com poderes psíquicos, conduzida por Swann e Pat Price.

As experiências foram sucedidas e em pouco tempo, os serviços de

espionagem interessaram-se por esta descoberta. Em outubro de

1.972, ocorreu uma reunião secreta, onde estavam presentes Puthof

e um anônimo pesquisador. Segundo Swann, eles receberam um

adiantamento de 50 mil dólares para “desenvolverem um método que

pudesse ser utilizado para espionagem”.

Financiamento Secreto

O novo patrocinador, chamado de “o aspirante da Costa Leste”, mas

que na verdade se tratava da CIA, deu um prazo de 80 dias ao SRI

para que encontrasse um método de espionagem psíquica. A equipe

começou então a trabalhar no que foi denominado de projeto

Scanate.

Em julho de 1.973, depois de meses de experiências e testes, a

equipe de SRI encontrou um fenômeno que poderia satisfazer as

exigências da CIA após apresentação dos resultados por Puthof

quando em uma semana Swann recebera as primeiras coordenadas do

serviço secreto. A espionagem psíquica finalmente estava sendo

colocada em prática.

Início do Acobertamento

A partir deste momento, os indivíduos envolvidos com o projeto de

“espionagem” psíquica, conseguiram forca para persuadir os

dirigentes do Pentágono sobre o potencial militar paranormal. Os

êxitos aumentavam á medida que as pesquisas avançavam, mas ao

mesmo tempo crescia o caráter confidencial do projeto. Contudo,

em 1.975, com a morte de Pat Price, foi anunciado que a

espionagem psíquica tinha

chegado ao fim, mas esta era a versão oficial. Porem, através de

uma investigação realizada em 1.978, foi demonstrado que 5 dos 14

laboratórios de parapsicologia tinham sido contratados por

autoridades governamentais. Em janeiro de 1.980, o governo norte

americano voltou a solicitar os serviços do SRI em razão dos

seqüestros de vários americanos pelo Ira.

Apesar de negar, o governo dos EUA continuou financiando projetos

secretos nesta área. Em 1.977, uma nova operação – o Projeto

Grillflame forneceu ao exercito e aos serviços secretos, espiões

psíquicos. Foi criado então um novo centro de “espionagem”, em

Forte Mead (Maryland), com especialistas psíquicos do Centro de

informação de Segurança (CIS) do Exercito.

Operação “STARGATE”

Oficialmente, o projeto Grillflane extinguiu suas atividades em

1.983, mas na verdade, prosseguiam em sigilo financiados por

verbas do Pentágono. Mudou-se o nome do projeto – denominava-se

agora “Centerlane” – mas a Agência da Informação da Defesa

manteve os mesmos objetivos.

As autoridades estavam impressionadas com os resultados. Segundo

o Gal. Edmund Thompson, a técnica de “espionagem” era real e “não

estávamos interessados em explica-la, nem em esclarecer sobre sua

utilização”.

Ao que parece, a equipe de Grillflane investigou assuntos

paranormais por todo o mundo. Entre seus sucessos, estão

incluídos: a procura de túneis secretos entre a Coréia do Norte e

a Coréia do Sul; a localização de um bombardeiro soviético que

havia sido atingido na África; o assassinato do Presidente Park

na Coréia do Sul; a localização de testes nucleares e a captura

de um espião soviético na China como também descrições detalhadas

dos campos de treinamentos dos terroristas do Hezbolla no Oriente

Médio e informação estratégica do paradeiro do Gal. Mu’ammar

al-Gaddafi durante o ataque aéreo á Trípoli.

Sem garantia de sucesso, foram abertas investigações sobre a

espionagem psíquica dentre outros projetos do Pentágono.

As conclusões das investigações em Fort Mead, continuam sendo

sigilosas mas em 1.986 o projeto STARGATE foi definitivamente

cancelado. Ou será que não?

Em 1.995, de acordo com uma nota oficial, Fort Mead foi fechado.

Uma contradição, já que teoricamente não funcionava há 9 anos.

Considerando-se a pouca confiabilidade das afirmações, parece que

o exército continua interessado em parapsicologia.

Depois do fechamento “oficial” de Fort Mead, o comandante Edmund

fundou uma firma chamada Psi-Tech, para prosseguir com estudos na

área psíquica. Dames tinha muitos clientes, e dentre eles, o

governo dos EUA. Posteriormente, a Psi-Tech foi dissolvida.

O Circulo se Fecha

A espionagem psíquica poderia pertencer ao setor privado? Joseph

McMoneagle, o primeiro oficial do exército á ser treinado para o

projeto Grillflane acredita que não: “Posso assegurar-lhe

categoricamente como um psíquico e como membro do projeto que o

Grillflane está fechado e não será ativado novamente. O governo

nunca contratou psíquicos civis e não o fará futuramente, uma vez

que não pode controlá-los. “Esta foi uma das razões pelas quais o

projeto foi criado”.

Mas talvez a palavra final sobre o assunto tenha sido dita pelo

Stanfield Turner, ex-diretor da CIA. Quando que em 1.995

perguntaram-lhe se o governo prosseguia utilizando o serviço de

especialistas psíquicos quando ele declarou numa nota: “Nenhum

oficial do Serviço de informação jamais ocultaria alguma valiosa

fonte de informação”.

Tradução e Colaboração – Julio Anglada – janglada@openlink.com.br

Carlos Airton – caas@ceara.net

http://web.archive.org/web/20040203224551/http://www.infinitetv.c

om.br/Projetos_Especiais/ESPIOES+PSIQUICOS.htm

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Uma resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s