Como Aquietar a Mente

(Extraído do livro “Como se livrar de Pensamentos e Sentimentos decorrentes do Medo”, do Dr. David Joshua Stone, editorial Pensamento)

Este capítulo trata de um assunto que, no mundo ocidental, não recebe a atenção que merece. No Oriente, esta atenção é tanta que cai no extremo de rejeitar a mente, o que também é totalmente sem propósito. Sai Baba disse com eloqüência: “A Mente cria a escravidão e a mente cria a libertação”.

No mundo oriental, a Mente é chamada de “mente de macaco”. Ela é um aparato maravilhoso e, como sabemos, são os nossos pensamentos que criam a nossa realidade. A questão é: como usar esse recurso para que ele trabalhe a nosso favor e não contra nos? No mundo ocidental e, na verdade, no mundo inteiro, a maioria das pessoas não sabe como aquietar a mente. É essencial aprender a aquietar a mente porque, do contrário, é impossível obter paz interior. Pela graça de Deus e dos Mestres, e do ditado que diz que a “necessidade é a mãe da invenção”, fiz algumas descobertas e criei alguns recursos que podem ajudá-lo a aquietar sua mente. Mas temos que começar pelo começo, lançando os alicerces desse conhecimento e desses recursos e construir a partir daí.

A primeira chave para aquietar a mente é assumir o poder pessoal e estar sempre consciente dos próprios pensamentos, sentimentos, desejos e do que vou chamar, genericamente, de conteúdo da consciência. O exercício do poder pessoal nos permite ficar na posição de observador, mantendo distanciamento, ou não-identificação, com relação ao conteúdo da consciência. Recomendo a leitura do meu livro “Psicologia da Alma” para quem precisa de ajuda para atingir essa não-identificação e esse desapego.

A maioria das pessoas vive com o piloto automático ligado, permitindo que o subconsciente lhes dirija a vida em vez de deixar que a mente consciente e o poder pessoal causem, criem e escolham sua vida e sua realidade.

Cada pensamento que, vindo de seu interior, lhe penetra a mente, deve parar à porta de sua bolha de proteção, que você deve criar todas as manhãs, e ser examinado. Assim, você vai saber, a espeito de cada um deles, se é positivo ou negativo, se é do ego negativo ou da consciência Crística e Búdica, se é ou não de Deus. Se for de Deus, deixe-o entrar. Se não for, expulse-o: não deixe que ele lhe invada a mente. Como diz A course in Miracles: “não há pensamentos neutros” e “não permita que nenum pensamento que não seja de Deus entre em sua mente”. Sai Baba chama esse processo de “auto-questionamento”. Ele diz que isso é 75% do Caminho Espiritual. Esse treinamento deveria ser oferecido nas escolas a todas as crianças, de todos os paises do mundo, porque não existe processo educativo mais importante. Esse processo está ocorrendo a cada minuto e, se não é você que escolhe e causa a sua vida, então quem é? A mente subconsciente, destituída de raciocínio, o corpo astral, o ego negativo e a criança interior, que não deveriam dirigir a vida de ninguém.

Se você praticar esse processo simples com a mente, as emoções e o conteúdo da consciência, já terá percorrido de 50 a 70 % do caminho que leva à quietude mental, desde que mantenha regularmente a vigilância alegre! Além disso, comece cada dia evocando o poder pessoal, o amor incondicional, a bolha dourada de proteção e a sintonia com Deus. Essa vestimenta espiritual, juntamente com a consciência Crística e Búdica, sintoniza a consciência e a mente ao ponto de vista certo para começar o dia. É preciso deixar claro que a bolha de proteção vai protegê-lo, também, dos pensamentos e sentimentos negativos e dos conteúdos da consciência vindos do mundo exterior. Não permita a entrada das energias, pensamentos e sentimentos negativos das outras pessoas ou do ambiente, para que esteja sempre em posição de escolher a sua própria realidade, interior e exterior. É isso basicamente que você precisa saber para aprender a aquietar a mente. Agora que assimilamos esse conhecimento, por assim dizer, podemos começar sua sintonia fina.

Chegamos agora a outro ponto muito importante: como é impossível fazer com que a mente pare totalmente de pensar, não deve se esse o nosso objetivo, pois não é vontade de Deus que a mente seja completamente brecada. Somos criativos por natureza e é com a mente que criamos. Examinando a questão do ponto de vista artístico, a mente é como um pincel ou como um instrumento musical. Ela está sempre criando. No entanto, a chave é aquietá-la para que possamos dominá-la, em vez de deixar que ela nos controle. No Ocidente, a maioria das pessoas é controlada pela mente, em vez de serem elas a controlá-la. Vivemos numa cultura que valoriza o fazer e o conseguir e não o ser. Na Índia é o oposto. Na verdade, as duas coisas são importantes e precisam ser equilibradas e integradas. Há momentos para pensar e momentos para não pensar. Essa é uma idéia-chave. A mente subconsciente está sempre pensando e criando de maneira positiva ou negativa, pois não tem raciocínio. Mas, é essa a idéia-chave, a mente consciente não precisa entrar na corrente continua de pensamentos, sentimentos e impulsos da mente subconsciente. Assim, aprender a não pensar é tão importante quanto aprender a pensar corretamente.

A mente está sempre em busca de compreensão e de paz interior O problema é que não é possível ter essa compreensão em todas as situações da vida, a qualquer instante. Às vezes, é essencial guardar a mente na prateleira e ficar na quietude e no silencio. Se a mente está sempre tagarelando e a mente consciente participa dessa tagarelice, onde se encaixa o Espírito Santo, a Poderosa Presença Eu Sou e o Eu Superior? Eles são a “pequena voz interior” que não briga por atenção como a mente, as emoções e o ego negativo. Outro exemplo é o de pessoas que estão sempre rezando mas nunca meditam. Rezar é falar com Deus e meditar é ouvi-lo. As duas coisas são importantes.

Muitas pessoas gostam de canalizar, o que é maravilhoso. A canalização é, em si mesma, um tipo de meditação. Mas é importante fazer, de vez em quando, uma meditação mais do tipo Zen, que exclui qualquer fluxo de informação e nos leva a experimentar apenas o Silencio e a Paz de Deus. É como se, com todos os pensamentos e sentimentos em ordem, pudéssemos ficar em silencio e desfrutar da paz. Às vezes, é importante pensar, fazer afirmações, visualiza, rezar, repetir o nome de Deus, cantar, entoar mantras, criar e conseguir. Mas há também o momento de ficar em silencio, sem se identificar com o conteúdo da consciência. Em outras palavras: há o tempo de se identificar e o tempo de não se identificar com o conteúdo da consciência. É como se fossem duas formas de “barato” no sentido Espiritual e psicológico. É possível atingir maravilhosos estados de amor, paz, alegria, êxtase e felicidade por meio de práticas Espirituais que nos ajudam a nos identificar com os aspectos Divinos e positivos do conteúdo da consciência. É absolutamente essencial usa essas práticas e esses recursos para co-criar com Deus, a vida e a missão que estamos aqui para manifestar. Mas é importante, também, aprender a se “desidentificar” do conteúdo da consciência, até mesmo do conteúdo Espiritual, e se limitar a ficar, nesse momento, no silencio do não-pensar, do não-sentimento específico e da não-criação específica, aproveitando apenas o estado de não-pensar.

Todos nós podemos recorrer a isso durante o sono ou na hora de dormir. Muita gente tem insônia porque não consegue aquietar a mente. Se é tarde e você tem que acordar cedo, é melhor parar de pensar, mesmo que esteja pensando em coisas maravilhosas, pois senão não vai conseguir dormir. Um aparelho de televisão oferece aqui uma boa metáfora. Além de mudar de canal mental, às vezes é essencial desligar a TV para ela descansar um pouco. Muitas pessoas não conseguem mudar de canal e nem desligar a televisão. Mesmo que os programas sejam fantásticos, há um momento em que é melhor desligar o aparelho e mergulhar no silencio, sem nenhum programa de TV, nem mesmo os programas canalizados. Quero dizer que há o momento certo para programas de TV, para programas canalizados, para o silencio do não-pensamento e para o simples silencio. O estado de total desidentificação com o conteúdo da consciência é maravilhoso, agradável, revigorante e capaz de curar. Há programas de TV subconscientes, programas de TV conscientes, quando a mente consciente convoca o conteúdo da consciência, programas de TV supra-conscientes e também o estado de não-pensamento, quando a televisão está desligada e só nos resta usufruir do silencio e da quietude.

Para aquietar a mente, os indianos costumam usar um mantra ou repetir o nome de Deus. Essa é uma prática maravilhosa, um recurso que mantém absortas a mente subconsciente e a consciente. Parece um paradoxo que, para se aquietar, a mente precise de um pensamento para ficar repetindo, mas funciona. Na minha opinião, ficar repetindo, sem parar, o nome de Deus e os mantras, pode dar uma terrível dor de cabeça. Mas não me entendam mal:não acho que essas práticas estejam erradas, pois eu as ensino em meus livros. Só estou dizendo que tudo tem seu lugar e seu tempo. Isso nos leva de volta a uma verdade: a mente cria a escravidão ou a libertação, dependendo de como é usada. Na vida, tudo tem que ser feito com equilíbrio e moderação, no momento apropriado. O que é cem por cento positivo num momento pode ser o oposto em outro. Se você está com dor de cabeça, esse não é um bom momento par repetir um mantra ou o nome de Deus. A quietude é provavelmente o mais indicado.

O simples fato de a mente lhe dar um pensamento, um sentimento, um impulso ou uma idéia criativa, de natureza positiva ou negativa, não significa que você seja obrigado a pensar sobre isso ou agir de acordo com isso. A lição número dois é aprender a pôr na prateleira os pensamentos, os sentimentos, os impulsos, os desejos e as idéias criativas, e pegá-los no dia seguinte. Não é preciso fazer uma meditação formal para atingir esse estado de não-pensamento ou de não-consciência. Qualquer um pode experimentá-lo a qualquer momento: é uma questão de escolha. Se quiser fazer essa experiência de maneira formal e por um período de tempo mais longo, crie um espaço físico, feche a porta, desligue o telefone e aproveite seu espaço por períodos de tempo mais longos e com maior concentração. Há muitos tipos de meditação. Na minha obra, eu já lhe ensinei uma grande quantidade de meditações de Ativação da Ascensão. Elas são fabulosas. Mas agora estou lhe apresentando outro tipo de meditação que é extremamente agradável e espiritualmente útil:experimentar a quietude de Deus, sem pensamentos nem conteúdos de consciência com que se identificar, pelo tempo que você mesmo escolher.

Há uma pergunta: o que fazer quando a mente não nos obedece no momento em que decidimos criar esse espaço de não-pensamento, seja em meio aos afazeres da vida ou meditando? Talvez seja este o verdadeiro início deste capítulo. Mas, antes de chegar a este ponto, tínhamos que construir o alicerce, para que estas novas noções e novos recursos sejam eficazes. Agora que você já tem uma compreensão fundamental, vou lhe oferecer algumas poções e alguns recursos revolucionários, que vão ajudá-lo a ter a mente mais serena, como nós todos desejamos.

– O primeiro recurso é a importância de escrever listas. Por meio de diálogos e estudos intensivos descobri que a mente fica quieta enquanto se sente respeitada. Assim, o primeiro recurso essencial para aquietar a mente funciona, por exemplo, num momento em que você está vendo TV e não quer pensar em nada, mas a mente vem com três coisas urgentes a serem feitas no dia seguinte. Tenha um caderninho na bolsa ou no bolso e escreva essas coisas na lista do dia seguinte. Eu garanto que a mente vai ter prazer em se aquietar se essas coisas estiverem na “lista do dia seguinte”.

– O segundo recurso é reservar uma parte do caderninho para momentos em que você quer parar de pensar em alguma coisa que está em processo. Nesse caso, basta escrever uma afirmação mais ou menos assim: “só vou pensar nisso na sexta-feira à tarde”. Mesmo que a preocupação seja grande, quando a mente sabe que suas prioridades estão sendo respeitadas, ela se quieta e respeita a afirmação. Mas uma coisa é essencial: se a sua mente trouxer a questão à tona depois desse prazo limite, você precisa pensar no assunto ou criar outro prazo limite. O ato físico de escrever a afirmação cria na mente uma forte impressão de que você é sério e tem um sistema para cuidar de suas necessidades e das necessidades de sua mente. Ela vai cooperar enquanto se sentir integrada ao plano e ao processo total de sua vida.

– O terceiro recurso é uti para momentos em que você não tem caneta e papel à mão. Você pode estar fazendo alguma coisa na rua, dirigindo o carro, meditando ou acordar no meio da noite. Esse recurso consiste numa lista mental de números, começando do um. Cada número corresponde a uma prioridade da mente: coisas a fazer ou a serem consideradas. Às vezes faço uma lista de dezesseis números, correspondentes a assuntos que vou resolver assim que me sentar à minha mesa. Por exemplo: no meio da noite, me levanto para ir ao banheiro e minha mente começa a pensar em alguma coisa muito importante que preciso fazer. Se continuar pensando, vou perder o sono e ficar acordado por algumas horas. Descobri que dar um número à prioridade da mente é como escrevê-lo na “lista do dia seguinte”. A mente fica satisfeita porque sua prioridade está sendo respeitada e eu levo pouco tempo para colocá-la na lista e não pensar mais nela.

Como já disse, a mente da maioria dos acidentais nunca pára de pensar. Isso nos tira a paz interior, provoca insônia, dores de cabeça, stress e até perturbação emocional. Pensar demais acaba afetando os órgãos físicos. Pensar conscientemente e planejar sem parar aumenta o fluxo de energia no fígado e no pâncreas. O fígado é conhecido, metafisicamente, como o órgão do planejamento. Muitas pessoas têm problemas digestivos porque pensam demais, abusando da energia do terceiro e do sexto chakras.

A questão da perturbação emocional também é importante. Como os pensamentos criam os sentimentos e as emoções, a mente está sempre criando histórias. Vamos supor que você teve uma pequena discussão com alguém da família ou com um colega. É bom processar o fato mentalmente e chegar a uma solução pacífica. Mas, quando há sentimentos não resolvidos, a mente cria histórias em que você descarrega a raiva na pessoa em questão. Você sabe do que estou falando. É muito importante brecar essas histórias, que são criadas pelo ego negativo e não pela alma e pela poderosa presença Eu Sou.

Há uma boa razão para aquietar a mente: é muito bom não precisar estar sempre pensando e fazendo coisas. A mente quer pensar, criar, conseguir e fazer. Quem deixa a mente assumir o controle acaba dominado por uma subpersonalidade chamada “o afobado”. Não me entenda mal: é maravilhoso pensar, criar, conseguir e fazer. Adoro minha mente e adoro pensar. É costume, em alguns movimentos espirituais e grupos psicológicos, ser “antimente”. Mas esses grupos acabam corrompidos em algum nível. A mente é uma das Faces de Deus. A chave é amar as quatro Faces de Deus (espiritual, mental, emocional e material) e integrá-las em equilíbrio. A chave é pensar, quando e como queremos, e não pensar quando não queremos. É por isso que amo as quatro Faces de Deus e amo a minha mente. Em vez de trabalhar para ela, eu faço com que ela trabalhe para mim. Isso nos remete ao ideal Espiritual e psicológico: atingir a mestria em todos os aspectos da vida e em todos os níveis.

Há um outro recurso para aquietar a mente que uso quando quero tirar uma soneca ou antes de ir para a cama. Ele me ajuda a fechar os olhos e mergulhar no sono por cinco minutos, o que sempre me revigora como se eu tivesse dormido oito horas. Mas, todos sabem que, quando a mente está pensando ativamente em muitas coisas, é impossível mergulhar no sono. Pois eu sugiro que você experimente este recurso ou técnica que eu desenvolvi: deitado, olho para um objeto específico, para um ponto branco ou para uma luz na parece à minha frente. Olhar para esse ponto é o meu botão para desligar. Minha mulher mal acredita na rapidez com que consigo dormir ou cochilar. Este recurso me ajuda nesses momentos. Eu me deito na cama e, antes de cochilar, olho para esse ponto. Isso limpa a minha mente porque foi esse o acordo que fiz com ela. Então, fecho os olhos. Como a minha mente está sempre trabalhando num milhão de projetos, cheia de pensamentos de todos os tipos, faço a escolha consciente de não embarcar neles. Mas ela continua a pensar no nível subconsciente. Quando ela me traz alguma coisa em que não quero pensar ou alguma coisa negativa, abro os olhos, olho para o ponto, minha mente fica limpa e começo tudo de novo. Isso rompe a cadeia de formas-pensamento, sem que precise rompê-la mentalmente a cada vez. Em certos momentos, essa é a maneira mais rápida e eficaz de deter as mais fortes correntes de formaspensamento.

Para aumentar a eficácia desse recurso, acrescentei a ela um segundo recurso: cada vez que fecho os olhos, faço com que minha consciência comece a acompanhar a minha respiração. Não me forço a respirar, mas apenas observo o processo da respiração. Isso faz com que a consciência saia do corpo mental e me permite entrar num estado de consciência mais profundo. Eu recomendo que em vez de tomar café ou de usar algum estimulante artificial como fonte de energia, você experimente deitar-se e usar este processo. Mesmo que não consiga dormir, deite-se, feche os olhos, use este recurso e deixe sua mente desocupada: só isso já é muito revigorante.

Processar e pensar corretamente é um recurso dos mais importantes, pois nossos pensamentos criam a nossa realidade. Uma descoberta profunda e interessante que fiz é a seguinte: às vezes a melhor maneira de processar a realidade e resolver as coisas é não pensar. A mente e as emoções são processos e recursos incríveis e suas criações parecem sempre importantes e reais. Mas descobri que, às vezes, para resolver uma questão, a solução é não pensar imediatamente nela. Com isso, a questão se resolve sem a necessidade de pensar, de processar, de falar, de escrever diários ou de fazer qualquer outra coisa. Uma semana depois, já nem me lembro mais da questão que no momento parecia tão importante. Isso me lembra um ditado: “o tempo cura”. Mas nem sempre é assim: certas questões precisam ser resolvidas, por mais que sejam proteladas. Por isso, na esteira dessa descoberta e também por outras razões, criei, no meu diário, uma outra lista, que me permite deixar para a semana seguinte, para seis meses depois ou até para o outro ano a necessidade de pensar sobre certas questões. A mente está sempre disposta a deixar certas questões de lado por algum tempo, desde que tenha a certeza de que elas serão resolvidas depois. E, como vou reler o diário depois de algum tempo, é 100% certo que não vou conseguir evitar essas questões no futuro. Sabendo disso, a mente deixa de lado a necessidade de pensar no assunto no momento presente.

Não pensar resolve certas situações, ou as razões que tínhamos para pensar ou fazer certas coisas, porque é a carga emocional que as faz parecer importantes. Só que, uma semana depois, essa carga emocional perde a importância e, com isso, percebemos que é desnecessário nos ocupar daquele pensamento, daquela questão, ou daquela coisa que parecia tão necessário fazer. Aprender a adiar preocupações é um recurso a ser desenvolvido porque todos nós temos a vida ocupada e coisas importantes a fazer. Não é impossível resolver tudo e fazer tudo o que gostaríamos de fazer. Assim, viver é estabelecer prioridades. Viver é ser capaz de integrar equilibrar a vida espiritual, mental, emocional e física/terrena e de decidir, a cada momento, qual é a face de Deus e o Nível de deus que exige mais atenção. É essencial conseguir se concentrar totalmente numa questão sem ser perturbado pelas outras. Com esses recursos, você vai conseguir escolher suas prioridades sem ser perturbado pelas outras questões, mas também sem ser irresponsável a respeito delas. No outro lado da moeda desta discussão, estão as pessoas que vivem em constante negação e repressão. Elas têm a capacidade de não pensar, mas o fazem de maneira irresponsável, acreditando que basta não pensar em certas questões para resolvê-las. Isso não funciona e o karma dessas pessoas vai importuná-las constantemente. Há dois tipos de negação: a espiritual e a ego-negativa. A negação espiritual, que é boa, é a capacidade de impedir que qualquer pensamento que não seja de Deus invada a nossa mente. A negação ego-negativa é negar os pensamentos e informações de Deus e bloquear a verdade da própria realidade por causa de uma psicologia ou de um sistema de crença ego-negativo.

Outro recurso que pode ajudá-los a aquietar a mente é o que chamo de importância das listas espirituais. Não dá para subestimar a eficácia e a utilidade desse recurso. Sempre que alguma coisa o aborrece ou corre mal num nível importante, sugiro que escreva uma Lista Espiritual. Há infinitos tipos de listas espirituais que podem ser criadas para ajudá-lo. Se estiver se sentindo infeliz, escreva uma lista espiritual com todos os motivos que você tem para ser feliz. No dia de Ação de Graças, e sempre que quiser se sentir melhor, crie uma lista espiritual com todos os motivos que você tem para se sentir agradecido. Se você está com a auto-estima em baixa ou com falta de respeito e de amor por si mesmo, crie uma lista espiritual que chamo de “Diário das Vitórias”. Nessa lista espiritual inclua todas as vitórias que obteve na vida, em todos os níveis, por menores que elas sejam. Como seus pensamentos criam a sua realidade e como você enxerga com a mente e não apenas com os olhos físicos, essa lista vai modificar profundamente os sentimentos e a consciência que você tem de si mesmo e vai reprogramar sua mente subconsciente.

Quando você tiver problemas de saúde física, crie uma lista espiritual que vai servir de plano de batalha espiritual, com todas as coisas que você vai fazer ara ficar saudável, vencer essa batalha e voltar a um estado de saúde perfeito e radiante.

Todos os dias faço uma lista espiritual com as coisas que tenho para fazer, em todos os níveis. Mesmo que não consiga fazer tudo, me sinto bem porque me sinto organizado e com o controle das coisas. Muitas pessoas ficam estressadas porque não conseguem fazer o que precisam fazer ou porque se angustiam com o trabalho que têm pela frente. Uma lista espiritual faz com que você se sinta no controle da situação, mesmo que fisicamente não dê conta de tudo. O mesmo vale para a lista espiritual da saúde. Mesmo que você ainda não esteja fisicamente saudável, a lista espiritual faz com que você sinta que dominou a lição Espiritual no nível mental e emocional, graças à organização e a um bom plano de batalha.

Se o problema é dinheiro, faça uma Lista Espiritual e um plano d batalha com tudo o que você vai fazer para resolver a situação: preces, afirmações e visualizações, além das providencias físicas que vai tomar.

Se, por alguma razão estranha, você começar a içar deprimido, faça uma Lista Espiritual de todas as razões que você tem para não se deprimir. Se começar a duvidar de si mesmo, faça uma Lista Espiritual de todos os motivos que você tem para não duvidar. Na verdade, acredito que as Listas Espirituais são uma das chaves de ouro para a vida bemsucedida. Elas funcionam como uma espécie de cura por meio de afirmações e da mudança de atitude Como os pensamentos criam a nossa realidade, você percebe a importância e a eficácia desses recursos.

Como nossos pensamentos criam a nossa realidade, é da mais alta importância mantêlos lá em cima, por assim dizer. Eu recomendo que, de vez em quando, faça uma Lista Espiritual dos motivos que tem para se sentir bem com relação a si mesmo e que guarde essa lista para consultar em tempos de stress ou crise. O simples fato de reler uma lista feita no passado ou sublinhar, nessa lista, os pontos mais importantes, pode fazer maravilhas para elevar a sua consciência.

Aqui, a pergunta-chave é: o que isso tem a ver com quietude mental? Você vai descobrir que a mente se aquieta quando o corpo emocional e o corpo mental se sentem em paz e em harmonia. Quando você se sente negativo com relação a si mesmo, ou quando interage negativamente com os outros ou com o mundo, a mente fica mais agitada e hiperativa. A superatividade da mente e o excesso de pensamentos causam exaustão e acabam esgotando as glândulas supra-renais. O excesso de crise e stress faz com que a mente entre em modo de sobrevivência e fique superativa, ativando demais as glândulas supra-renais o que prejudica o sistema imunológico. Muitos trabalhadores da luz sofrem de exaustão das supra-renais devido a excesso de stress e crise quando é essencial aprender a ter paz interior e nos relacionamentos. É da mais alta importância aprender a pensar e processar corretamente a vida, além de aprender a não pensar quando é o caso. Por isso é que Sai Baba diz: “a mente cria escravidão e a mente cria libertação”. Se você aprender a dominar e a usar corretamente sua mente como um recurso criativo divino, ela será sua maior amiga e aliada e vai ajudá-lo a se libertar do ego negativo. A mente não é ruim: é a mente ego-negativa que temos que transcender. Muitos filósofos orientais são confusos a este respeito. Eles jogaram o bebê fora, junto com a água do banho. Eles confundiram a mente ego-negativa com a mente. No entanto, foi o ego negativo que acabou corrompendo os seus ensinamentos. Como diria o mestre Tibetano, Kjwhal Khul: “Pondere sobre isso”. Acontece a mesma coisa nas escolas ocidentais de pensamento e psicologia, que acham que é o máximo ser antimente. Isso é uma total corrupção ego-negativa e esses ensinamentos deveriam ser evitados.

Assim, se você aprender a pensar corretamente, a manter seus pensamentos “lá em cima” e a se sentir bem com relação a si mesmo, sua mente vai se aquietar porque você vai estar em paz. Assim, para aprender a aquietar a mente, é essencial aprender a pensar direito. Vemos, portanto, que é preciso encontrar o equilíbrio entre aprender a pensar e aprender a não se entregar aos pensamentos, quando é este o caso.

Há outro recurso fantástico para aquietar a mente, que chamo de “Votos Espirituais”. Na vida erramos muitas vezes e nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos que acontecessem: são momentos que nos trazem lições para aprender. Se você cometer um erro, em vez de se sentir mal por causa disso, ficar remoendo o fato e deixar que ele o derrube, recomendo que inaugure outra seção em seu diário, para Votos Espirituais. Crie um Voto Espiritual que diga alguma coisa do tipo: “Eu amo incondicionalmente a mim mesmo e me perdôo 100 % por este erro. Aprendi a lição e não vou deixar que isso aconteça outra vez!!!”

Este simples enunciado corrige o processo: evoca o perdão e o amor incondicional afirmando, ao mesmo tempo, que a lição foi aprendida e que o erro nunca mais vai se repetir. A última parte lhe devolve o poder pessoal e o espírito de Guerreiro Espiritual, que são absolutamente essenciais em todos os momentos da vida. Vontade de viver é vontade de lutar por Deus e por tudo o que acreditamos. Esse breve Voto Espiritual funciona como uma alquimia que transforma a experiência negativa em “ouro espiritual”. Desde que você faça esse voto espiritual, é até bom que o erro ocorra porque graças a ele você aprende conscientemente a lição. Além disso, seu empenho no sentido de impedir que o erro se repita fica forte como aço, o que vai lhe ser muito útil no futuro. Graças ao voto você desenvolve também uma vigilância espiritual que vai lhe poupar muito sofrimento. O fato de registrar os votos por escrito já os fortalece e, como ficam numa seção especial do diário, que você pode consultar sempre que for preciso, eles ficam ainda mais fortes.

Dá para perceber como isso é profundo? Quando você cometer um erro, ou quando as coisas derem errado, faça um voto espiritual que vai torná-lo mil vezes mais poderoso do que antes. Além disso, o fato de fazer seriamente um voto espiritual é uma garantia de que o erro ou o fato indesejável nunca vai se repetir, o que é reconfortante. Assim, aquilo que poderia ter prejudicado o seu sucesso é agora um propulsor, que o leva a níveis ainda mais altos de crescimento espiritual e de sucesso. O voto espiritual serve também para afirmar e solidificar o fato de que a lição foi aprendida, o que é extremamente útil.

A próxima pergunta é: o que isso tem a ver com quietude mental? Se você estiver deprimido ou agitado por causa de m revés ou de um erro, sua mente vai ficar super ativa na tentativa de levá-lo de volta ao equilíbrio e à paz interior. Este recurso, assim como a lista espiritual, é um método super rápido para levá-lo de volta quase que instantaneamente, ao estado de paz interior e de bem-estar com relação a si mesmo, permitindo assim que sua mente se acomode e se aquiete.

Outro principio, compreensão e recurso para aquietar a mente diz respeito à relação com o passado e o futuro. É muito importante não deixar que a mente se concentre demais no passado ou que guarde ressentimentos por erros cometidos, gerando remorso e culpa. Mas nem sempre é errado se concentrar um pouco no passado porque, às vezes, precisamos evocar lembranças e experiências.

Além disso, é importante examinar o passado para aprender com os erros e as boas ações que ficaram para trás. Mas, salvo essas exceções, temos que viver no agora e seguir sempre em direção ao futuro, estabelecendo metas e prioridades espirituais. Se você refletir sobre o passado, vai perceber que ele é feito apenas de pensamentos e imagens mentais. Você pode ser o mestre do seu passado se tiver domínio sobre os pensamentos e as imagens mentais. Devo dizer que pensamentos e imagens são, na verdade, a mesma coisa. Em certo sentido, são dois lados da mesma moeda. Às vezes, os pensamentos vêm em formaspensamento e, às vezes, em imagens-pensamento. Todos os princípios e recursos mencionados neste capítulo se aplicam a ambos. Quero apenas deixar claro que, par eliminar o remorso e a culpa, o melhor recurso é se perdoar e se amar incondicionalmente.

Com relação ao futuro, os princípios são os mesmos. O futuro só existe na forma de pensamentos e imagens mentais. Expectativa é ansiar pelo futuro. Preocupação é temer o futuro. Quando dominamos os pensamentos e as imagens que nos invadem a consciência, controlamos o nosso futuro. Na verdade, existe apenas o eterno agora. É importante planejar o futuro, mas não em excesso. É importante se preparar para o futuro, mas não em excesso. É bom pensar no futuro. No entanto, é preciso ter discernimento espiritual para no extrapolar. O principal é ser o mestre dos próprios pensamentos e imagens mentais, relativos ao passado e ao futuro.

Quando se trata de impedir que a mente se preocupe e pense demais, um dos melhores recursos é a oração. Em suas canalizações da Mente Universal, Edgar Cayce disse: “Por que se preocupar quando se pode rezar?”. A oração breca imediatamente os pensamentos e as preocupações, pois nos devolve a fé, a confiança e a paciência. Adotar essa perspectiva com relação ao passado e ao futuro vai ajudá-lo a aquietar a mente a cada momento do dia. Outro recurso de valor inestimável para aquietar a mente é um exercício de afirmações que deve ocupar uma parte especial do diário. Na vida, há pensamentos, imagens, sentimentos, impulsos e desejos que nos desagradam tanto que não temos vontade nem de pensar neles. Nesses casos, imagine que a mente consciente e a mente subconsciente são um computador. Quando você ficar aborrecido com um processo qualquer, crie uma afirmação nessa parte especial do diário. Por exemplo: “Estou apagando de vez este programa”

Isso funciona em 50 % dos casos. O ato de escrever num lugar especial do diário bloqueia o processo na mente e na consciência. Mas isso não basta: é preciso incluir, na afirmação, um novo programa positivo. É mais ou menos assim: “Estou apagando de vez este programa e pondo, em seu lugar, este processo específico”.

Vou ar um exemplo: se você estiver zangado com alguém, a afirmação vai apagar oficialmente esse programa que poderá, então, ser substituído por perdão, amor incondicional e benevolência. Esse recurso pode ser usado de infinitas maneiras. Ele pode ser usado com relação a qualquer pensamento, imagem, sentimento, emoção, mau hábito, impulso negativo ou desejo negativo. Se você criar oficialmente esse sistema em seu diário, eu garanto que vai funcionar. Esse recurso é outra dádiva de Deus, assim como os outros que mencionei com o intuito de ajudá-lo a aquietar a consciência e a mente.

Para concluir, se você puser em prática todas as idéias, preceitos e recursos mencionados, você vai aprender de maneira rápida e eficaz a aquietar a mente no dia a dia, durante o sono e nas meditações. Esses recursos funcionam já na primeira vez e continuam a funcionar enquanto você permanecer íntegro e consistente com a sua prática. Aprender a aquietar a mente é uma das mais importantes práticas espirituais que você vai trabalhar. Afinal, não podemos esquecer que são os nossos pensamentos que criam a nossa realidade.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Anúncios

2 Respostas

  1. adorei fala muito sobre aquietar as mentes

  2. Universal e real, o trabalho de vocês sem dúvida glorificam a Deus por indicar quem somos, e de quem se trata tal Ser. Agradecido aos elevados a amigos, peço a Dues que os ilumine ainda mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: