Quanto Sol se deve tomar para manter a saúde?

piramidal.net | lojapiramidal.com

compartilhar

Vitamina D

Pesquisadores espanhóis estimaram a duração da exposição à radiação solar necessária para que uma pessoa consiga obter as doses recomendadas de vitamina D.

Embora as medições tenham sido feitas para a radiação solar na Espanha, o trabalho pode servir de base para que pesquisadores de outros países efetuem mensurações similares nas latitudes de seus países e para os tipos de pele mais comuns na população.

Enquanto na primavera e no verão são suficientes de 10 a 20 minutos ao Sol na Espanha, nos meses de inverno são necessárias quase duas horas – portanto, afirma a equipe, é difícil para a grande maioria da população conseguir a exposição solar ideal para manter a vitamina D em níveis saudáveis.

Radiação UV para o bem

Tem havido uma preocupação crescente na comunidade médico-científica com os baixos níveis de vitamina D na população, sobretudo entre os mais jovens. Muitos apontam o medo do câncer de pele e o uso exagerado de protetores solares como a causa mais provável. Além disso, recentemente se descobriu que a vitamina D tem mais benefícios do que se imaginava.

Todos os anos, há uma multiplicidade de estudos científicos sobre os benefícios do banho de Sol em doses moderadas, intercalados por outros estudos que confirmam os riscos de tomar Sol excessivamente.

Embora a radiação solar ultravioleta (UV) contribua para o desenvolvimento de eritema solar, para o envelhecimento da pele e para o câncer, ela também reduz a pressão arterial, sintetiza a vitamina D, energiza as células do sistema imunológico e melhora o tratamento de várias doenças.

A deficiência de vitamina D está associada a um maior risco de sofrer de várias doenças. Como é muito difícil obter essa vitamina pelos alimentos, a sua síntese pela pele como resultado da exposição ao Sol é sua principal fonte natural.

Evitar as queimaduras de pele

María Antonia Serrano e seus colegas estimaram o tempo necessário para, sem se queimar, obter as doses recomendadas de vitamina D na cidade de Valência, que recebe uma grande dose de radiação UV ao longo do ano – a dose diária recomendada de vitamina D é de 1.000 UI (unidades internacionais).

Primeiro, os pesquisadores se preocuparam com os possíveis danos que o Sol possa causar à pele.

Os dados da irradiância solar ultravioleta foram coletados em torno do meio-dia (entre 12:30 e 13:30) durante quatro meses do ano (um em cada estação) de 2003 a 2010. É questionável o horário escolhido, uma vez que é mundialmente reconhecido que este não é um horário recomendável para se tomar Sol. Contudo, com estes números a equipe calculou o tempo necessário para causar eritema – vermelhidão da pele causada por queimaduras.

Os dados mostram que, no verão, um indivíduo com pele tipo III (menos clara e que se bronzeia, o tipo mais comum entre a população da Espanha) não deve gastar mais do que 29 minutos ao Sol se desejar evitar ficar queimado – o suficiente para que a pele descasque. No entanto, no inverno, o mesmo indivíduo pode permanecer no Sol por 150 minutos, ou seja, cinco vezes mais tempo.

É importante ressaltar que os dados não são diretamente transponíveis para o Brasil, devido à grande diferença de latitude – os tempos de exposição no Brasil deverão ser significativamente menores. Contudo, é possível usar o estudo como uma referência para a diferença na duração dos banhos de Sol entre as estações.

Obter a vitamina D necessária

O tempo de exposição mínimo para obter a dose diária recomendada de vitamina D foi obtido da mesma maneira.

Verificou-se que, ao redor do meio-dia no inverno, com 10% do corpo exposto ao Sol, são necessários cerca de 130 minutos para obter a dose diária recomendada de vitamina D. Como este tempo é mais curto do que o tempo necessário para causar eritema, não há risco de queimaduras solares.

Em contraste, no verão, com 25% do corpo exposto ao Sol, cerca de 10 minutos são suficientes para sintetizar a vitamina D necessária. No outono e na primavera, o tempo é intermediário, cerca de 30 minutos.

“Estes cálculos foram feitos para o tipo III de pele, mas os números mudariam para aqueles que têm uma tez mais clara ou mais escura,” alerta Serrano. “Também é essencial ter em mente que consideramos a porcentagem habitual do corpo exposto para a estação. Se mais pele estiver exposta, o tempo de exposição pode ser reduzido.”

Os resultados foram publicados na revista Science of the Total Environment.

http://www.diariodasaude.com.br

Piramidal no Facebook
.
●●● Gostou? Então curta nossa página no Facebook.
.
Autor
●●●
 Seja amigo do autor do site no Facebook e esteja sempre antenado em assuntos interessantes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s