Saúde realiza segunda etapa da campanha de homeopatia contra dengue (03.11.2007)

Genimarta Oliveira

Complexo homeopático, utilizado para minimizar os sintomas da dengue, é tomado em dose única

Além do trabalho permanente durante todo ano no combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, a secretaria Especial de Saúde passou a contar, este ano, com mais um dispositivo, o complexo homeopático contra dengue que ajuda a atenuar os sintomas da doença.

Entre os dias 10 e 14 de novembro será realizada a 2ª etapa da Campanha Municipal Homeopática Contra Dengue. Serão disponibilizados 39 postos fixos e um volante que atenderá as comunidades da sede do município e dos distritos.

De acordo com a coordenadora de Saúde Coletiva, Laila Aparecida Nunes, a campanha contará com 150 mil doses do complexo. “Na primeira etapa conseguimos sensibilizar uma grande parcela da sociedade, atendemos 156 mil pessoas”, frisa.

Laila lembra que o complexo homeopático não é uma vacina, ele ajuda a atenuar o quadro febril agudo, as dores no corpo e diminuir os riscos das complicações hemorrágicas. “É importante frisar que os cuidados para evitar a proliferação do mosquito aedes aegypti, é primordial para evitarmos a doença. Devemos eliminar os recipientes que acumulam água, pois são os locais de proliferação dos mosquitos”, alerta.

Complexo – O produto é uma associação de três substâncias: Eupatorium, Crotalus e Phosphorus. A Eupatorium é uma planta de origem norte-americana que serve para amenizar a febre e as dores no corpo. O Crotalus é um extrato que vem do veneno da cobra cascavel e ajuda a diminuir a tendência a hemorragias bem como o Phosphorus.

A distribuição do complexo faz parte do Programa Municipal de Combate à Dengue e conta com a aprovação da Associação Médica de Homeopatia do Estado do Rio.

Fonte: http://www.macae.rj.gov.br/noticias/mostranot.asp?id=10341

Agentes de Saúde aprendem sobre complexo homeopático de dengue

A Prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria de Saúde e Higiene, finalizou nesta terça-feira (13/3) o treinamento dos profissionais para a orientação e dispensa do complexo homeopático para dengue. Entre sexta-feira (9/3) e esta terça, mais de 500 pessoas foram capacitadas, sendo nesta manhã mais de 300 agentes comunitários de Saúde.

O medicamento, que será distribuído e ministrado gratuitamente nas unidades de Saúde, é voltado para amenizar os sintomas da dengue e assim restringir a cadeia de transmissão da doença. De acordo com o médico homeopata Renan Marino, em Cuba, o complexo tem sido utilizado em larga escala, como tratamento de preferência. O resultado tem sido altamente positivo.

Segundo o médico, a recuperação do paciente é mais rápida, atenua os sintomas e diminui o risco de hemorragias. “As dores, febre e outros sintomas são reduzidos para dois ou três dias. Ou seja, o paciente fica menos tempo infectante, diminuindo a cadeia de transmissão”, explica.

A Secretaria de Saúde adquiriu 100 mil doses do complexo, o suficiente para atender a 50 mil pessoas Mas já está programando outra compra de mais 100 mil doses. O medicamento já está sendo distribuído para as unidades de Saúde. Esse trabalho será finalizado na próxima terça-feira (20/3), quando todas as unidades já terão recebido o complexo para atender à população.

Durante o treinamento, realizado no período da manhã na Unilago, com mais de 300 agentes de Saúde, as principais dúvidas foram sobre quem pode tomar o medicamento e como. Também foram distribuídos aos participantes panfletos, com orientações básicas sobre uso do complexo homeopático.

O médico Marino explica que qualquer pessoa pode tomar o medicamento. Ele é recomendado até mesmo para quem nunca teve a doença ou sequer apresenta sintomas característicos. Não há contra-indicações.

De acordo com a coordenadora do Programa Municipal de Controle à Dengue, Amena de Alcântara Ferraz, qualquer pessoa pode procurar uma unidade de Saúde e tomar em dose única de tratamento duas gotas do medicamento. “Se esta pessoa vier a contrair a doença depois ou apresentar os sintomas de dengue, ela deve voltar a uma unidade de Saúde para fazer o tratamento prolongado. Ou seja, ela receberá um frasco do complexo que levará para casa e tomará duas gotas, três vezes ao dia, durante sete dias”, diz.

O tratamento prolongado, segundo o médico Marino, também é recomendado para quem já está com os sintomas. O complexo homeopático é coadjuvante no tratamento, já que tem de ser feito também o tratamento estabelecido para dengue no Manual de Procedimentos, e é recomendado especialmente a pessoas que fazem parte do grupo de risco para dengue hemorrágica, como quem já teve dengue ou hipertensos, diabéticos, grávidas, entre outros.

A médica pediátrica homeopata Eleny Jammal, da Secretaria de Saúde, diz que o complexo já vem sendo utilizado pelos homeopatas de clínicas particulares desde 2002. “Antes disso, tivemos uma experiência de campo no bairro Cristo Rei, em 2001, e Cuba, desde o surto em junho do ano passado, com casos de dengue hemorrágica em Havana e Camaguey, adotou a homeopatia como terapêutica oficial do Ministério da Saúde, daquele país”, destaca.

O médico Antonio Caldeira, assessor técnico da Secretaria de Saúde, diz que o uso da homeopatia em Saúde Coletiva representa uma medida complementar a todas as ações de Saúde pública que vem sendo desenvolvidas pela Secretaria de Saúde de Rio Preto. ”É uma ação coadjuvante ao plano de contingência que busca conter ou minimizar, de todas as formas possíveis, a evolução e agravos da epidemia de dengue”, ressalta.

Mirna de Lima Soares

Orientações para o uso do complexo homeopático

O medicamento homeopático requer alguns cuidados na sua conservação e administração, apresentados a seguir:
• Não mudar a medicação de frasco;
• Manter em temperatura ambiente;
• Evitar exposição ao calor ou luz do sol, diretamente;
• Evitar proximidade com aparelhos eletrônicos, campos magnéticos ou microondas (ex: celular, TV, computador,…);
• Evitar abrir o frasco em ambientes com cheiros fortes (ex.: cigarros, perfumes, cânfora, fumaça…).
• Evitar tomar a medicação durante a alimentação ou logo após escovar os dentes;
• Antes de tomar a medicação, faça bochechos com água para higiene da boca;
• Não encostar o conta-gotas do frasco da medicação na boca;
• Não há risco se cair gotas a mais na administração;
• Não há contra-indicação;
• Não há efeito colateral ou reação adversa;
• Não há interação com outras medicações.
• Agitar o medicamento antes de tomar. Para isso, segure o frasco com uma das mãos e bata vigorosamente pelo menos 10 vezes contra a palma da outra mão.
Observação: Em caso de vômito, manter a medicação normalmente.

IMPORTANTE: Não interromper, de forma alguma, o tratamento com o uso de paracetamol ou dipirona e soro de hidratação oral.

Fonte: http://www.riopreto.sp.gov.br

log_pir_47

.

Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interessantes como este.